Portões eletrônicos, interfones e câmeras: Seu imóvel na moda e com segurança

Na hora de investir na casa própria, não planeje apenas a decoração: invista numa residência segura.


Há cerca de dez anos um portão eletrônico custava em média R$ mil, e naquela época as empresas especializadas não instalavam mais do que três portões por mês. Hoje a realidade é bem diferente. Além de pensar no projeto arquitetônico, no bem-estar e na beleza do imóvel, os proprietários preocupam-se agora com uma casa segura. O mercado da segurança nas residências e condomínios expandiu.


Para o empresário Deoclécio José da Silva, proprietário da empresa Digibel em Francisco Beltrão, as pessoas estão mais atentas à segurança do imóvel, além disso, o custo dos equipamentos se tornou mais acessível. “Os valores baixaram e hoje não está difícil instalar um sistema de segurança. Todas as pessoas podem ter acesso à segurança”, afirma o empresário.

O investimento cada vez maior baixou os preços dos portões eletrônicos, que hoje variam entre R$ 400 e R$ 500. Segundo Deoclécio, instalar um equipamento deste tipo em casa traz além da segurança, muito conforto à família. Com o sistema por controle remoto não é preciso que o dono da casa desça do veículo toda vez que quiser abrir ou fechar a garagem.

A tecnologia dos sistemas de segurança começou pelo portão eletrônico, mas há vários métodos para manter a casa segura. Além do portão, o proprietário pode instalar também um interfone ou ainda um video-porteiro. O primeiro funciona apenas por áudio, e é possível saber quem pretende visitar a casa. Já o segundo exemplo é ainda mais seguro. Além do áudio, há uma câmera que filma o visitante; segurança e comodidade garantida. “O interfone é mais utilizado, o video-porteiro está entrando no mercado de automação, mas acredito que vá se tornar um produto popular.”



Segurança nos condomínios

Numa residência, saber quem entra e sai é muito mais fácil do que em condomínios. Nestes ambientes, dezenas de famílias dividem o mesmo espaço externo e diariamente muitas pessoas trafegam sem a menor cerimônia. Para garantir a segurança de todos os condôminos, o ideal é que o prédio tenha sistema de interfone coletivo ou a central de portaria. “Neste segundo exemplo a segurança é maior, já que na central existe comunicação entre um apartamento e outro, acesso direto à portaria e senha de acesso. O proprietário não precisa utilizar as chaves para entrar no prédio, tornando assim o ambiente muito mais seguro e comodidade”, salienta o empresário.



Portão eletrônico: seguro e bonito

Os sistemas de segurança se tornaram populares e, além de mais baratos, também estão mais bonitos e práticos. Há vários modelos de portões eletrônicos, que se adaptam a cada tipo de residência: o de elevação — mais popular do mercado —, o deslizante e o pivotante. “Em Francisco Beltrão, os mais utilizados são os tipos de elevação e deslizante, devido ao espaço que ainda existe na residência.”



Você no comando

Os portões eletrônicos funcionam por sistemas de automatização, por controle remoto. E cada situação requer um tipo de comando, diz o empresário. No caso das residências, por exemplo, onde o fluxo de entrada e saída de veículos e pessoas é menor, o controle remoto não é temporizado. “Muitas vezes o dono da casa pode esquecer o portão aberto e se ele fechar sozinho pode ocorrer acidentes. Hoje no mercado há várias modelos, e cada um é regulado conforme a necessidade do proprietário. O portão pode regular a força, o torque, enfim, existem várias possibilidades”, enfatiza.

No caso dos condomínios, como o entra e sai é maior, os portões eletrônicos são temporizados, ou seja, mesmo que o proprietário esqueça de acionar o comando de fechamento, num determinado momento ele fechará sozinho. Mais segurança e conforto para os moradores.



Câmeras de vigilância 24 horas

Além dos portões eletrônicos, interfones e vídeo-porteiros, é possível manter a segurança de casas e condomínios através de câmeras de monitoramento 24 horas.

No comércio de Francisco Beltrão, principalmente na área central — na Avenida Júlio Assis Cavalheiro — o sistema de câmeras de vigilância também poderia inibir os pequenos furtos e o vandalismo. “Apresentamos um projeto à prefeitura para a instalação de monitoramento nos principais pontos, como bancos, esquinas. Acredito que o município já comporta um sistema deste porte.”

Apesar dos métodos de proteção, nenhum sistema de segurança é 100% garantido. No entanto, a tecnologia utilizada em Francisco Beltrão é a mesma dos grandes centros, o que reduz muito a possibilidade de problemas.



Sistema de segurança é para o ano inteiro

Mesmo com o mercado em expansão, ainda é grande o número de pessoas que só investem nos sistemas de segurança na época das férias, quando a família sai para viajar. Segundo o empresário, é importante deixar o imóvel seguro o ano inteiro.

“Neste caso as pessoas utilizam o sistema de alarme e o acesso remoto via internet. Em qualquer lugar que o morador estiver ele vai conseguir monitorar tudo que ocorre próximo de sua casa e dentro dela. Isso gera tranquilidade.”

                                                                                                               Escrito por Cristiane Sabadin

0 comentários:

Postar um comentário

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...